quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Quando se percebe que algo mudou de fato

  Quando o que você antes acreditava que seriam palavras duríssimas, passam em meio a conversa toda e você  apenas sorri, tal qual uma piada qualquer. - Eu desisto de você. Sim, foi bem o que fulano disse e foi assim que exatamente ouvi. Mas, logo me veio à cabeça uma réplica para a frase: - Pois eu não desisto de mim! Não esperei por tréplica alguma. Não precisa, para mim já era final de conversa...

  Ah, é? Desiste? Que bom para você. Eu não desisto. E acho mesmo que isto é tudo! É o bastante! Ótimo se confiam em você, se possuem altas expectativas com relação à você...é muito bom mesmo ter credibilidade com quem quer que seja. Mas não depender do que o "outro" atribui à você é libertador...

  Não. O panorama não mudou, não melhorou (pelo menos aparentemente) e não vejo perspectivas muito próximas de nenhuma evolução. Mas eu mudei. Mudei com relação ao que eu não tenho conseguido transformar. E essa mudança é tudo. Logo eu, que sempre fui tão segura das minhas percepções, que nunca dei muito crédito ao que pensavam de mim...estava até há pouco escrava da "confiança e esperança" alheia...

  Embora saiba da inconstância que é bem esta vida e já consciente do que esta frase poderá me "causar" em um outro dia (num daqueles em que já não se está muito bem),  fico grata da confiança de hoje (da minha em mim!), e como AA, "só por hoje" sua desistência não me abalou nem um pouquinho...duvida? Eu não!


Nenhum comentário: