terça-feira, 5 de junho de 2012

Você se deve isto...

  Parece-me uma endemia, epidemia, ou mais, pandemia. Suspeito que, tal qual uma doença altamente contagiosa, alastra-se rapidamente. Efeito dominó, derruba um, que derruba o próximo, que derruba o outro e, de repente, todos estão rapidamente ao chão. O tal do mau humor não é só situação passageira e individual, depois de uma sucessão de "atitudes" menos otimistas, o sujeito não só pode viver permanentemente de "mal com o mundo", como pode causar efeitos na coletividade.

  O ascensorista do elevador, extremamente despreparado e muitíssimo mal humorado, é impaciente com uma senhora, que pedia informação e por isso impedia a passagem dos outros usuários, ele a apressa com grosseria; envergonhada, ao descer ela "desconta" a indelicadeza na sua acompanhante.  No outro prédio, o porteiro se dirige educadamente ao motorista que estaciona em lugar proibido. Não bastasse estar em local irregular, o motorista recebe a advertência do funcionário como uma ofensa pessoal. Antes de entrar no outro elevador, escuto o motorista, ao longe, prepotente, orgulhoso, com um humor dos piores: - Tá achando que é dono do prédio, é? Não assisto o desfecho do imbróglio, mas subo imaginando que o porteiro nada disse, mas talvez "passasse para frente" a grosseria, com um subalterno, um igual, para esposa ou filho. No intervalo da aula, vou até a cantina. Fila pequena, somente duas pessoas a minha frente, um rapaz visivelmente impaciente especula sobre os recheios dos salgados assados. O moço da cantina, rapaz bem humoradíssimo, falante até e muito solícito, responde: - Tem de ricota com espinafre, frango e quatro queijos. E o impaciente: - Não tem de carne, né?; o moço da cantina responde, já sorrindo: - Claro que tem; - Mas você não falou!; - Claro que falei. Frango não é carne? Pergunta o moço da cantina, soltando junto com a piada inocente um despretencioso sorriso.
O impaciente ferve, borbulha e explode: - Vai ficar a vida inteira aí, vendendo salgados. Burro, pobre e engraçadinho, não vai daqui pra lugar nenhum! Surpreso o rapaz da cantina, constrangidos todos que assistiram a cena pavorosa e sem reação eu me imaginava, fazendo o gracejo. Que mal tem? Que desordem é esta no temperamento coletivo, que se torna incapaz de um sorriso e qualquer gentileza?

  A próxima da fila, desconcertada, faz seu pedido, é atendida e sai rapidamente. Inértil, permaneço na mesma posição desde o desequilíbrio do rapaz sem humor. - Então, querida o que vai querer? - Eu? - É. 
- Quero um assado de carne; Constrangido o rapaz responde: - De carne eu não tenho hoje, vou ficar te devendo. - E frango é o quê? Respondo. O moço da cantina sorri, gargalha, depois me serve um assado de frango, antes me olha com cumplicidade. Somos parceiros de piadas ruins. Somos comparsas contra o mau humor que assola a cidade. Eu e o rapaz da cantina. 

  Saio para aula e escuto o piadista de ocasião me chamar: - Ei Colega! Vai fazer um concurso difícil? - Não. Vou fazer um impossível. Ele sorri e declara: - Colega, no meu concurso tu passa em primeiro! Eu sorrio feliz, ganhei minha noite. Pois são mesmo essas provas que me importam.
  
  Hoje eu ouvi, em algum lugar, de alguma fonte pouco confiável, que pessoas bem humoradas atraem coisas boas. Não conheço estatísticas que comprovem tal hipótese. Mas de qualquer forma, um sorriso, ainda que discreto é sempre mais atraente do que um cenho franzido. Um sorriso grande ou  um "sorrisinho Monalisa"; nós devemos isto às velhinhas distraídas, aos porteiros gentis, aos moços alegres das cantinas, por aí afora e mais, nós devemos isto a nós mesmos.
   Boa noite moço da cantina, boa noite porteiro, boa noite senhora do elevador. Boa noite, para quem hoje recebeu o que não queria e continuou dando o que gostaria de receber...quem sabe amanhã...




2 comentários:

Carla Machado disse...

E eu que nem sabia que frango era carne.... kkkk. Piadinha a sua cara, mas boa e bem humorada!!! Eu acho que gente bem humorada é pelo menos mais feliz, mais leve e certamente vive melhor!

Amanda M. disse...

Nem sempre é fácil, mas quando está mais difícil a necessidade do sorriso é maior, né? :)